sexta-feira, 21 de outubro de 2011

SAÚDE, QUALIDADE DE VIDA E HIGIENE PESSOAL

Saúde

Historicamente saúde tem sido definida por diversos modos.
Os antigos médicos gregos acreditavam que saúde era uma condição de equilíbrio do corpo.
Para os índios do Novo Mundo, estar saudável era estar em harmonia com a natureza.
Os chineses antigos acreditavam que saúde era o reflexo de uma força chamada "QI" (Edelman 1986).
Em contraste, a medicina ocidental aborda saúde analisando seus componentes, ao invés da análise da interconexão entre eles. Essa abordagem tem sido defendida através dos tempos, o que levou ao foco primário de doença e incapacidade.
Só recentemente esta postura médica começou a mudar para uma visão mais holística.
Há algumas décadas, em 1946, a OMS (Organização Mundial de Saúde) introduziu uma dimensão mais positiva de saúde em sua definição: "saúde é um estado de completo bem estar físico, mental e social e não somente a ausência de doença ou enfermidade".

Qualidade de Vida

A qualidade de vida é um termo empregado para descrever a qualidade das condições de vida levando em consideração factores como a saúde, a educação, o bem-estar físico, psicológico, emocional e mental, expectativa de vida etc. A qualidade de vida envolve também elementos não relacionados, como a família, amigos, emprego ou outras circunstâncias da vida.
Muitos são os fatores que influenciam na qualidade de vida e os mais importantes dependem de cada um de nós, da nossa visão do ideal, da nossa herança familiar e cultural, da fase da vida em que estamos, da nossa expectativa em relação ao futuro, das nossas possibilidades, do ambiente, da visão que temos do mundo e da vida, dos nossos relacionamentos. Existem certas condições básicas, como: ter o que comer, morar, saúde, liberdade de escolha... Quando elas não existem, tornam-se prioridade número um e não há muito que discutir.
Qualidade de vida envolve um conjunto de fatores que devem existir para uma vida melhor. Isso quer dizer que a qualidade de vida passa pela necessária mudança de comportamento, vivência de valores, crescimento profissional e humano, disciplina e respeito, cuidados com os ambientes, atenção à saúde, vivência de uma espiritualidade...
Uma das questões centrais da reflexão sobre qualidade de vida está no trabalho, que deveria ser fonte de prazer e satisfação: o prazer no processo, o prazer em ver o trabalho pronto e o prazer que o produto final propicia às pessoas.
O trabalho, na verdade, passou de uma concepção de sobrevivência, em busca de meios para satisfazer as necessidades básicas, até chegar, nos dias de hoje, como sendo vital e fundamental para todo ser humano essencial à vida e à própria felicidade. É inegável sua importância para o ser humano, pois através dele a pessoa se sente útil à sociedade e à vida.
O trabalhador, nesse sentido, deverá ser ouvido, percebido e respeitado como ser humano e como cidadão. Desta maneira, a concepção de trabalho seria desvinculada da concepção de castigo, fardo, sacrifício e se transformaria em fator importantíssimo de felicidade.
A qualidade de vida não está à venda como se fosse um item da moda ou de um supermercado, também não a conseguimos adquirir de um dia para o outro.
A verdade é que, considerando o ditado que “...a única coisa permanente é o constante processo de mudanças...”, precisamos estar sempre nos reposicionando e perguntando:
- Estou sendo feliz no que faço (trabalho, lazer, vida familiar, etc ...)?
- Meus objetivos/planos/metas ainda são válidos para as atuais condições?
- Do que tenho aberto mão em função das atuais opções?
- O que estou fazendo para que outras pessoas também tenham mais qualidade de vida?
- O que posso fazer para ser mais feliz nas diversas dimensões da vida?
A questão central é que precisamos fazer alguma coisa, “não deixar para amanhã tudo aquilo que gostaria de fazer, posso fazer e tenho condições de fazer hoje”. Temos a tendência de achar que viveremos eternamente e que, portanto, podemos adiar mesmo as coisas boas. Qualidade de vida tem algo de “aqui e agora”, e algo que poderíamos chamar de “planejar o futuro”.
Robson Santarém, da Associação dos Dirigentes Cristãos de Empresas do Rio de Janeiro, afirma que a qualidade de vida deve iniciar por algumas perguntas:- Qual o sentido da vida?
- Quais valores estão presentes em nossa vida?
- Que prazer, que paz, que harmonia, que felicidade, que vida é esta afinal?
- Que herança se pretende deixar para os filhos: imóveis, bens, investimentos ou o orgulho de ter sido uma pessoa íntegra?
Pela profundidade das respostas seguramente encontraremos pessoas mais livres, mais equilibradas e felizes. A afabilidade e atenção, o cuidado e a cooperação, o entusiasmo e o senso de humor, a paixão e a lealdade, a humildade e a vergonha, a serenidade e determinação, a ética, a justiça e muitas outras virtudes precisam estar presentes na vida do dia-a-dia. Isto, sim, é qualidade de vida!
Beleza, Saúde e Alimentação

Higiene Corporal

Higiene é o conjunto de normas que têm a finalidade de conservar e melhorar a saúde, evitando as doenças e, desse modo, preservando a vida.
Não dar importância às normas de higiene e não praticá-las é correr o risco de perder a saúde e ficar desajustado socialmente. Para garantirmos nossa saúde, devemos aprender a ter certos cuidados com as mãos, os pés, os dentes e o couro cabeludo.

Banho diário
Nada melhor para a saúde, embelezamento e mesmo repouso do corpo do que o banho diário.
O que é realmente importante:
- o banho diário elimina os maus odores provocados pelo suor e lhe dá maior disposição para o trabalho;
- faça o uso diário de desodorante, com cuidado de escolher um aroma suave.

As Mãos e os Pés
Mantenha as unhas e mãos sempre limpas: ao se alimentar, indo ao banheiro, após manusear dinheiro ou após haver fumado.
Lavar as mãos com auxílio de sabão e, se possível, de escova macia, escovando amplamente a palma e dorso das mãos e entre os dedos: escove o cotovelo As unhas devem ser mantidas curtas, deixando a polpa do dedo livre. Pinte-as se quiser, mas mantenha o esmalte inteiro.
Se você fica de pé o dia todo. A higiene dos pés lhe dará maior conforto, reduzindo a sensação de cansaço. O mau cheiro dos pés provoca constrangimento.
Procure andar sempre com sapatos confortáveis, para evitar calosidade, unhas encravadas e bolhas.
É preciso, também, que os calçados sirvam perfeitamente nos pés; eles devem ser de couro para facilitar a transpiração. Os saltos causam problemas em sua postura e, conseqüentemente, dores nas costas.

Os Dentes
Bons dentes contribuem para uma boa mastigação e, portanto, para um melhor aproveitamento dos alimentos. Todas as vezes que os dentes entram em ação, permanecem restos de comida entre eles e as gengivas. Por isso, devemos escová-los após as refeições e antes de deitar, evitando o mau hálito e as cáries dentárias.
Ás vezes, ele é proveniente de distúrbios estomacais ou sinusite. O fumo também causa mau hálito.
O mau hálito é imperceptível para nós mesmos, porém para as pessoas com as quais relacionamos, não. A escovação correta é freqüente dos dentes, a utilização do fio dental, visitas ao dentista são hábitos que você não deve esquecer.

Os Cabelos
A higiene dos cabelos é muito importante para você e para toda a clientela. Lave seus cabelos no mínimo duas vezes por semana e mantenha-os sempre bem penteados e cortados.

O Rosto
A higiene do rosto é de grande importância, tanto para o sucesso social para profissional. A pele deve ser antes de tudo, sadia. Através da lavagem do rosto, você vai remover as sujeiras que se acumulam durante o dia, a maquiagem e as células mortas do rosto proveniente da escamação natural da pele, evitando o aparecimento de cravos e espinhas. Lave o rosto duas vezes por dia, utilizando a água fria, evitando produtos fortes.

Vestuário
As nossas roupas também precisam de cuidados especiais. Se você vestir uma roupa suja, não terá boa aparência e transmitirá micróbios. É preciso manter-se asseado, com roupas limpas e adequadas ao ambiente de trabalho.
Tecidos facilmente laváveis são mais adequados. A cor você escolhe, mas veja bem, as cores mais claras são menos cansativas.
Mantenha-o limpo.
Sua maquiagem também é importante; seja discreta e use tons suaves.

Agora, vamos falar sobre a alimentação
Além dos cuidados com o nosso corpo, com o ambiente de trabalho, e a preservação de bons hábitos e costumes de higiene, devemos também ter muito cuidado com a nossa alimentação, pois precisamos de vários tipos de alimentos para suprir as nossas necessidades básicas, e, assim, ter uma boa saúde.
Vamos fazer uma comparação: pense em um automóvel. Como você sabe, ele anda graças ao combustível. Quando chega ao motor, o combustível é queimado, produzindo a energia que alimenta o carro.
O desenvolvimento do indivíduo depende de uma alimentação correta à base de vitaminas, proteínas, minerais e outros nutrientes.
Os alimentos, depois de mastigados e digeridos, são transformados em energia, o que garante o bom funcionamento do organismo. Assim, como você pode observar, o combustível é tão importante para o carro como o alimento para o organismo humano.
Tudo o que comemos e bebemos geralmente é formado por uma mistura de substâncias são simples, como água e a glicose, que passam do tubo digestivo para o sangue.
Tenha o cuidado de fazer uma alimentação variada e comer alimentos ricos em vitaminas.
Comer bem não é comer muito. Comer corretamente é saber escolher o tipo e a quantidade de alimentos necessários à saúde do organismo.
A alimentação adequada para cada indivíduo varia de acordo com suas necessidades pessoais, o seu modo de vida e a natureza das atividades que desenvolve.
É bom lembrar, contudo, que a alimentação deve ser variada. Sempre que possível ela deve conter carnes, leite, ovos, vegetais (verduras e legumes) e frutas, alimentos indispensáveis ao nosso corpo.
Somente bem alimentado, o corpo resiste ao desgaste do dia a dia.
Agora você sabe que, para evitar problemas de saúde, é fundamental manter bons hábitos de higiene corporal e ambiental, além de uma alimentação sadia e variada.
Para ter um organismo saudável, precisamos garantir um funcionamento equilibrado tanto do corpo físico como da mente. Só desse modo estaremos evitando contrair muitas doenças.
Conforme afirmação em http://saudetrabalho.blogspot.com/ :ter saúde com qualidade de vida é seguir os fatores abaixo encadeados!
Imagens, fonte: Imagens Google

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

O comprometimento pessoal de todos os colaboradores da empresa e a excelência do relacionamento humano definem o nível de qualidade e a força de competição da empresa.
Nem sempre os clientes sabem a diferença entre os serviços da sua empresa e dos concorrentes. Mas eles certamente sabem se todas as suas transações foram feitas rápida e eficientemente, e se os funcionários o atenderam com educação e respeito. Por este motivo é importante que todos mantenham uma atitude profissional no atendimento a clientes, não importa se atendemos apenas dois telefonemas de clientes por mês ou centenas de pessoas no caixa a cada dia.
Competitividade e produtividade tornaram-se premissas básicas para a sobrevivência das organizações. Empresas e, por conseqüência seus funcionários precisam trabalhar com qualidade ou então poderão estar contribuindo para o seu próprio infortúnio.
O cliente numa visão de qualidade é aquele que vende ou compra habitualmente de determinada pessoa. É ele que nos dá um padrão de qualidade que devemos ter no nosso produto ou serviço. Ele é a razão do nosso trabalho.
Consideramos como nosso cliente: Os nossos consumidores, nossos colegas de trabalho, nossos superiores, nossos colegas de escola, nossos fornecedores e também os vizinhos da empresa.
O segredo do bom atendimento/tratamento é interessar-se pelas pessoas. A qualidade de um atendimento começa na intenção do prestador do serviço em querer fazê-lo bem feito. Essa disposição, essa vontade e fundamental para que a qualidade aconteça a apareça.
Escutar é um comportamento importante e fundamental para estabelecer e manter o relacionamento entre clientes e atendentes. Escutar com empatia é demonstrar ao cliente que as suas necessidades e preocupações são mais importantes naquele momento.
Escutar também é uma técnica básica na terapia. Já foi dito que a cura e a transformação ocorrem quando alguém está sendo escutado.
De fato, casamentos, amizades, relacionamentos bem-sucedidos estão muito relacionados com a quantidade de escuta que ocorre dentro daquele relacionamento ou amizade.
A relação cliente x atendente é afetada da mesma maneira.
Antes de procurar entender o cliente, o profissional deve se conscientizar de seu próprio comportamento. A atitude do funcionário e a do cliente está sujeita a variações, por motivos pessoais ou situações. Tais variações influem na relação funcionário – cliente.
O profissional de atendimento deve estar capacitado para saber lidar com os mais variados tipos de pessoas em diversas circunstâncias. No entanto, o atendimento padrão transparece para o cliente a imagem de uma empresa organizada, disciplinada e principalmente capacitada para atender seus desejos.
Procure ter as seguintes posturas: olhe para o cliente; cumprimente o cliente; se possível, chame-o pelo nome; questione as suas necessidades; coloque melodia na sua comunicação acrescentando: Por Favor ... Por Gentileza ... Lamento ... Desculpe ... Muito Obrigado(a) ... Um instante ... Posso ajudá-lo? ...; evite uso de gírias ou palavras que provoquem intimidades.
Além disso, é importante também: atender de imediato: Para quem espera, um minuto parece tempo demais. O cliente quando atendido prontamente, aguarda, se preciso, com mais paciência. Se não puder atendê-lo de imediato, demonstre ter percebido sua presença com gestos, expressões ou palavras; Ser Cortês: Atender com educação qualquer cliente sem preconceitos ou discriminação. Não discrimine a pessoa pelo seu jeito simples, pela aparência; Mostrar Boa Vontade: Atender a todas as necessidades do cliente, até as que extrapolem a sua função. Faça-o sentir-se “Bem Vindo”. Dedique-lhe atenção. Mostre disposição em querer ajudar; Dispensar Atenção ao Cliente: Deve-se dar tempo para o cliente explicar o que realmente deseja, mantendo uma atitude amigável. Seja simpático e educado; Agir com Rapidez: Quando for detectada a necessidade do cliente e você perceber que tem capacidade e autonomia de atendê-lo totalmente, faça-o de forma rápida. MAS ATENÇÃO: Rapidez não é sinônimo de descaso ou irritação e também não significa fazer mal feito; Não dar Ordens: Você tem ... Busque ... (Lembrem-se da melodia); Falar a Verdade: Preste informações corretas, prometa o que puder cumprir; Atuar com Profissionalismo: Conheça o seu trabalho, procurando permanentemente melhorar e aprender novos conhecimentos.

Lidar com as reclamações:
A habilidade de administrar e resolver conflitos constitui-se num dos componentes mais importantes da competência interpessoal. Saber ouvir (escutar) muito contribui para aprender a conviver construtivamente com objeções e reclamações de clientes. Assim citamos algumas importantes:
- Depois de fazer uma pergunta, é importante silenciar; aguarde pela resposta. Se o interlocutor não responde de imediato aguarde, ele pode estar pensando.
- Não interrompa seu interlocutor enquanto ele estiver falando, mesmo que você discorde dele ouça tudo o que ele tem a dizer primeiro.
- Não contradiga o que ele está dizendo, demonstre respeito e aceitação sobre o seu problema.
- Não faça pré-julgamentos a respeito do interlocutor.
- Crie condições para que o outro possa expressar suas idéias, valores e sentimentos.
Esteja ali para ajudá-lo, para encontrar solução. Não seja do tipo que só fica procurando o responsável; busque solução, aí você estará fazendo um atendimento com excelência.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

MEIO AMBIENTE

Educação Ambiental

Um dos maiores problemas do século XXI é o crescimento exagerado das cidades, tal episódio produz grandes agravantes ambientais, uma vez que o crescimento acontece de forma rápida e desorganizada. Existem inúmeros fatores que comprometem o meio ambiente, como a produção do lixo e esgoto, as chuvas ácidas, as poluições, queimadas, o desmatamento, os problemas de temperatura entre outros.
A poluição gerada nas cidades pode ser liberada de várias formas. A poluição pode ser originada por meio de lixo depositado em locais impróprios, radiações, ruídos, substâncias químicas, agentes contaminantes e outros.
É preciso lembrar que o meio ambiente não se refere apenas as áreas de preservação e lugares paradisíacos, mas sim a tudo que nos cerca: água, ar, solo, flora, fauna, homem, etc. Cada um desses itens está sofrendo algum tipo de degradação.
Existem dois conceitos muito utilizados na área ambiental e diretamente relacionados com os pressupostos do desenvolvimento sustentável: preservação e conservação; são conceitos distintos, mas erroneamente muitas vezes são utilizados com o mesmo significado.
- Conservação implica em uso racional de um recurso qualquer, ou seja, em adotar um manejo de forma a obter rendimentos garantindo a auto-sustentação do meio ambiente explorado.

- Preservação apresenta um sentido mais restrito, significando a ação de apenas proteger um ecossistema ou recurso natural de dano ou degradação, ou seja, não utilizá-lo, mesmo que racionalmente e de modo planejado.
O objetivo geral da educação ambiental é formar cidadãos ativos que saibam identificar os problemas e participar efetivamente de sua solução e prevenção. Que ajudem a conservar o nosso patrimônio comum, natural e cultural; que ajam, organizem-se e lutem por melhorias que favoreçam a sobrevivência das gerações presentes e futuras da espécie humana e de todas as espécies do planeta, em um mundo mais justo, saudável e agradável que o atual.
De que forma?
- Adquirindo consciência do meio ambiente global e sensibilização para essas questões;
- Buscar o conhecimento, vivenciando maior diversidade de experiências e compreensão do meio ambiente e dos seus problemas;
- Buscar ter atitudes, adquirindo valores sociais, aliados ao interesse pelo ambiente e vontade de participar ativamente em sua melhoria e proteção;
- Desenvolver aptidões necessárias para resolver problemas ambientais;
- Proporcionar aos grupos sociais e aos indivíduos a possibilidade de participarem ativamente nas tarefas de resolução dos problemas ambientais.
A preservação do meio ambiente depende de todos: governo, educadores, empresas, Organizações Não-Governamentais (ONGs), meios de comunicação e de cada cidadão. A educação ambiental é fundamental na resolução desses problemas, pois vai incentivar os cidadãos a conhecerem e fazerem sua parte, entre elas: evitar desperdício de água, luz e consumos desnecessários (reduzir, reusar e reciclar), fazer coleta seletiva, adquirir produtos de empresas preocupadas com o meio ambiente, cobrar as autoridades competentes para que apliquem a lei, tratem o lixo e o esgoto de forma correta, protejam áreas naturais, façam um planejamento da utilização do solo, incentivem a reciclagem entre outros.

Você já ouviu falar sobre a “Carta da Terra”?
A Carta da Terra é uma declaração de princípios fundamentais para a construção de uma sociedade global no século XXI, que seja justa, sustentável e pacífica. O documento procura inspirar em todos os povos um novo sentido de interdependência global e de responsabilidade compartilhada pelo bem-estar da família humana e do mundo em geral. É uma expressão de esperança e um chamado a contribuir para a criação de uma sociedade global num contexto crítico na História. A visão ética inclusiva do documento reconhece que a proteção ambiental, os direitos humanos, o desenvolvimento humano eqüitativo e a paz são interdependentes e inseparáveis. Isto fornece uma nova base de pensamento sobre estes temas e a forma de abordá-los. O resultado é um conceito novo e mais amplo sobre o que constitui uma comunidade sustentável e o próprio desenvolvimento sustentável.

Importância da Carta da Terra
Em um momento no qual grandes mudanças na nossa maneira de pensar e viver são urgentemente necessárias, a Carta da Terra nos desafia a examinar nossos valores e a escolher um caminho melhor. Além disso, nos faz um chamado para procurarmos um terreno comum no meio da nossa diversidade e para que acolhamos uma nova visão ética compartilhada por uma quantidade crescente de pessoas em muitas nações e culturas ao redor do mundo

Fontes dos valores da Carta da Terra
Junto com o processo de consulta para a redação da Carta da Terra, as mais importantes influências que dão forma às suas idéias e valores são a ciência contemporânea, as leis internacionais, os ensinamentos dos povos indígenas, a sabedoria das grandes religiões
e tradições filosóficas do mundo, as declarações e relatórios das sete conferências de cúpula das Nações Unidas realizadas nos anos 90, o movimento ético mundial, grande número de declarações não-governamentais e tratados dos povos feitos durante os últimos trinta anos, assim como as melhores práticas para criar comunidades sustentáveis.

Os objetivos da “Iniciativa da Carta da Terra”
1. Promover a disseminação, o aval e a implementação da Carta da Terra pela sociedade civil, pelo setor de negócios e pelos governos.
2. Promover e apoiar o uso educativo da Carta da Terra nas escolas.
3. Buscar o aval à Carta da Terra pelas Nações Unidas

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

ETIQUETA EMPRESARIAL

Etiqueta é um conjunto de regras cerimoniosas de trato entre as pessoas e que são estabelecidas a partir do bom senso e do bom gosto. Diversamente do que muitos pensam essas regras não são privilégios de determinada classe social; qualquer pessoa pode e deve aprendê-las e fazer delas uma ferramenta a seu favor. É importante considerar que nesse mundo altamente competitivo, o indivíduo que cultiva os bons modos tem mais oportunidades de ascensão pessoal e profissional. Todo profissional bem sucedido sabe disso. Esse tipo de comportamento, fino e de bom gosto, certamente faz a diferença entre o sucesso e o fracasso.
A autoconfiança e a elegância, tanto na maneira de se vestir, como na postura e apresentação pessoal, podem melhorar a sua imagem, abrindo as portas de um novo mundo. Lembre-se que ser gentil, sincero e atencioso, é a regra-mestre para ganhar respeito e confiança.
Devemo-nos vestir com elegância, sem exageros. Se a apresentação é importante para você, é muito mais para a organização onde trabalha. A discrição é palavra de ordem, quer nas conversas surpreendidas involuntariamente, quer na correspondência de que é obrigado a tomar conhecimento, ou nos diálogos telefônicos, assuntos confidenciais, etc.
Não faça comentários desagradáveis sobre a firma na qual trabalha ou sobre o seu chefe, nem discuta ordens recebidas.
Não seja mal humorado e procure tratar bem a todos para se tornar simpático e, em conseqüência receber igual tratamento. Ao telefone, atenda a todos com cortesia, clareza, sem demora e com entonação de voz agradável, prestando todas as informações solicitadas.
Regras para Cumprimentar e Apresentar Pessoas
Há uma regra básica para todos os tipos de apresentação: quem quer que esteja se apresentando ou sendo apresentado, deve sorrir e olhar a pessoa nos olhos. Seriedade e tensão não funcionam bem nas apresentações. Outra coisa importante que deve ser observada é que o tapinha nas costas e os beijinhos devem ser evitados sempre, a menos que haja grande intimidade entre eles e a ocasião permita esse tipo de carinho.
Quando você se apresentar a alguém, não se intitule doutor, professor etc. Se você é doutor, professor ou magistrado, todos saberão no momento oportuno. Isso não é de bom tom na hora da apresentação. Você deve apenas dizer o seu nome.

Etiqueta ao Telefone
Ter bons modos ao telefone pode fazer uma diferença enorme na carreira de uma pessoa. Veja como evitar alguns erros extremamente comuns, que são cometidos, até mesmo por executivos experientes:
- Tenha sempre papel e caneta e anote os recados; pergunte se o outro pode falar naquele momento;
- Desligue o celular em reuniões, eventos e locais públicos – a menos que esteja aguardando uma ligação urgente, assim mesmo coloque-o no silencioso e saia da sala para atendê-lo;
- Se o celular de outra pessoa tocar nunca atenda;
- Ao atender ao telefone, diga o nome da empresa, bom dia (boa tarde, conforme o horário), seu nome, e pergunte "em que posso ajudar?".
- Se a pessoa se identificar usando o título de doutor, professor, etc., trate-o pelo título, nunca somente pelo nome;
- Enquanto estiver falando ao telefone, não faça outras coisas como digitar, mexer com papéis... A pessoa do outro lado, certamente, perceberá e poderá achar que você não está lhe dando a devida atenção;
- Não coma enquanto estiver ao telefone;
- Durante uma reunião na sua sala, se o telefone tocar, peça licença aos demais, atenda e, ao desligar, desculpe-se pela interrupção;
- Se você recebeu a ligação e precisa de algum tempo para dar uma resposta, comprometa-se a ligar, informando quando e a que horas telefonará.
- Sempre que ligar ou atender o telefone, esqueça seus problemas pessoais;
- Sua voz deve soar calma e agradável, por mais que esteja sobrecarregado de trabalho;
- Quem faz a ligação deve desligar primeiro;
- Esta regra só deve ser quebrada quando o outro estende demais a conversa e não percebe que está na hora de desligar.

Dicas Importantes ao Vestir no Ambiente de Trabalho
A aparência ou aspecto exterior é antes de qualquer coisa o reflexo do interior de cada pessoa. A pessoa cansada, desiludida, desmotivada para a vida revela seu estado de espírito no andar e no descuido para com vestuário.
Nossa aparência reflete nossa personalidade, influencia nossos contatos sociais e, conseqüentemente, os profissionais.
Alguns fatores são básicos quando se considera o modo de vestir-se: harmonia, estilo, atitude e elegância.
Harmonia: alguns itens são importantes para se entender melhor a forma de combinar as roupas e vestir-se adequadamente e com bom gosto, ou seja, com equilíbrio e harmonia. Sensibilizar-se para a forma, o padrão, a cor, a textura ou a linha é essencial na busca de um estilo próprio de vestir-se.
Estilo: a vestimenta e os acessórios são a embalagem de um conteúdo, neste caso, você. Logo, ela deve estar em equilíbrio com sua personalidade, altura, volume, tom de voz, caráter. O estilo é o que define você, trata-se da maneira como você se apropria de elementos diversos e faz desse conjunto um diferencial, ou seja, o seu próprio estilo. Ter estilo é ter personalidade.
Atitude: é um movimento, uma reação ou modo de ser diante do mundo, é um jeito especial de estar no mundo. Revela-se pela expressão verbal, pelo olhar, pelo vestir e andar. Ter atitude é ter estilo, é ter um senso de escolha diferenciado no resgate de objetos e coisas pelo inesperado. A atitude é a personalidade definida, assertiva, segura.
Elegância: significa simplicidade, é uma atitude, um conjunto que envolve o comportamento, o modo de vestir-se, a postura, o modelo de ser, de falar, de ouvir, além do modo de sentar, comer, andar. A elegância revela-se pela gentileza, consideração, atenção; é o tom da voz, a leveza do gesto, a palavra certa; é aquilo que distingue uma pessoa numa festa ou evento, não pela exuberância, mas pela discrição; é a escolha certa de cores, forma, padrões, linhas e texturas, que de modo discreto, causam forte impressão.

As Regras Fundamentais da Arte de se Vestir Bem São:
- Discrição é o segredo para vestir-se bem.
- Vestir-se com propriedade, de acordo com a hora, local e circunstância;
- Preferir o mais simples;
- Escolher cores que se adaptem ao seu temperamento;
- Usar acessórios que realcem o “toalete” e que estejam em harmonia com o traje.
- O perfume deve ser agradável, sem exageros. Evite odores excessivamente marcantes: para as mulheres indica-se algo leve e para os homens, uma água-de-colônia.
- Com relação aos cabelos, fuja dos excessos e busque a simplicidade. Um bom corte, tintura em dia, se necessária é o suficiente. Atenção a detalhes como fivelas, presilhas, e outros adereços que podem afetar o conjunto.
- A maquiagem complementa e dá um toque final. A naturalidade é o equilíbrio, e a maquiagem corrige ou acentua qualidades e defeitos. Fuja de excessos e procure suavidade.
Alguns cuidados:
Em Relação ao “Homem”:
- Estar sempre barbeado
- Calça e camisa sempre limpos e passados, barras feiras, botões pregados. As camisas abotoadas corretamente.
- Sapatos e ou tênis sempre limpos;
- Cabelo cortado e penteados;
- Bigodes aparados;

Em Relação a “Mulher”:
- Maquiagem mais suave;
- Esmalte em cores mais claras;
- Perfumes de fragrância mais fraca;
- Sapatos mais confortáveis;
- Cortes e penteados não extravagantes;
- Roupas modestas e adequadas ao trabalho;

Dicas de Almoço e Jantar de Negócios
- Almoço ou jantar de negócios: quem convida paga a conta;
- Opte por refeições e bebidas leves; lembre-se que a finalidade é comercial e não nutricional;
- Evite: palitar os dentes, mastigar com a boca aberta, cotovelos na mesa, olhar só para o prato, arrastar a cadeira, comer antes de todos estarem servidos, chamar o garçom por outro nome, usar o celular.

Etiqueta na Internet
- Responda todos os e-mails rapidamente;
- Preste atenção na gramática, ortografia e na pontuação;
- Não repasse e-mails duvidosos, correntes, piadas e boatos;
- No computador corporativo, use-o somente para o trabalho, evite acesso em sites pessoais como: Orkut, MSN, entre outros.

Sugiro a leitura do livro: VIEIRA, Maria Chistina de Andrade Vieira. Comunicação empresarial – etiqueta e ética nos negócios. São Paulo: Senac, 2007
Imagens fonte: Imagens Google

domingo, 16 de outubro de 2011

MARKETING PESSOAL

Algumas pessoas sabem que não basta mostrar competência, mas, além disso, ”'vender” a sua imagem, ou seja, não basta que você seja bom, mas é preciso que muitas pessoas saibam que você é bom.
Divulgar a sua imagem é fazer o marketing pessoal. Quem não é visto, raramente é lembrado. Mas não basta ser visto, vai muito além, é preciso que as pessoas vejam você de modo a registrarem a sua imagem na memória de uma maneira simpática, agradável e duradoura.

Lembre-se: você é o seu produto, e como profissional no mundo corporativo, tem muito a oferecer: seu talento, sua experiência, seu conhecimento. Vejamos um pouco de cada:

Talento é a sua vocação para determinada ocupação ou função. A primeira coisa a fazer na vida profissional é respeitar o seu talento e seguir a carreira para a qual você tem vocação. Apenas assim você estará realizado trabalhando, e exclusivamente assim conseguirá ser feliz profissionalmente.
Experiência é o que se adquire executando trabalhos e aprendendo sempre com cada etapa da execução. Aperfeiçoamento é uma atitude positiva na direção da experiência, busque investir na sua formação continuada. Faça sempre o melhor que puder em tudo, planeje corretamente, estude situações e prepare-se para novas oportunidades.
Conhecimento é a soma das experiências que você adquire ao longo dos trabalhos para os quais tem talento. Para melhorar neste item é que você pode concentrar uma atitude de empenho contínuo e se aperfeiçoar a cada momento. Estude, pesquise, interesse-se. E avance.

O sucesso de sua carreira depende de como você lida com esse produto, que é você mesmo, como cuida da “embalagem”, da apresentação. E aí entra o diferencial de quem tem sucesso: a habilidade de relacionamento; invista no networking.

Imagens fonte: Imagens Google

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

TRABALHO EM EQUIPE


Eu sou parte de uma equipe. Então, quando venço, não sou eu apenas quem vence. De certa forma, termino o trabalho de um grupo enorme de pessoas...
Ayrton Senna

Vamos iniciar conceituando o que seria uma equipe? É quando um grupo ou uma sociedade com conhecimentos complementares, comprometidas com propósito, meta de desempenho e abordagem comuns, e pelos quais se mantêm mutuamente responsáveis, ou seja, que resolve criar um esforço coletivo para resolver um problema; que dedicam-se a realizar uma tarefa ou determinado trabalho.
O trabalho em equipe possibilita a troca de conhecimento e agilidade no cumprimento de metas e objetivos compartilhados.

Vejamos um vídeo da Coca Cola:
video
Para que exista harmonia em uma equipe, é necessário, que se tenham normas bem definidas; objetivos e metas comuns, e seja esperado o mesmo resultado. Não pode haver equipes sem objetivos e metas de desempenho. As equipes se alinham as grandes metas organizacionais, as macro-estratégias e a visão das equipes. Mas cada uma deve construir sua própria visão, com valores e crenças que todos partilhem. Para trabalhar em equipe ocorre a interdependência entre os integrantes, sendo importante a confiança e um bom relacionamento interpessoal.
Toda a equipe é composta por diferentes indivíduos, sendo importante estar consciente das diversas maneiras como influenciamos e distorcemos as informações sobre o outro e o ambiente que nos cerca. Assim, é fundamental desenvolver a capacidade de se colocar no lugar do Outro, facilitando a compreensão das suas atitudes, dificuldades e desejos (é que chamamos de empatia). A equipe será mais produtiva quanto mais inteligente for, quanto melhor tiver consciência de suas emoções e souber lidar com elas.
Analise o vídeo abaixo:
  video
Definitivamente o trabalho em equipe é fundamental para o desenvolvimento e o sucesso profissional do indivíduo e para o crescimento da organização. Para saber trabalhar em equipe é necessário desenvolver competências como: respeitar o próximo como ser humano; saber ouvir o colega; ter um espírito de cooperação; compartilhar idéias e respeitar a opinião do próximo. Uma equipe é como uma família, tendo que se manter unida com respeito, honestidade, confiança para que seja possível a realização de um trabalho eficaz, criativo e de qualidade.

Desta forma é mais adequada a construção daquilo que se denomina “pactos de convivência” entre os membros da equipe. Construir um pacto deste tipo implica, portanto, em sentar junto com certa periodicidade e resolver questões do tipo: definição de objetivos e metas; divisão de papéis e funções; ajustes interpessoais; resolução de conflitos; definição da organização do trabalho e dos níveis de autonomia; relações com o líder.
video

Armando Ribeiro em seu artigo “Trabalhar em equipe” ressalta que são primordiais algumas condições básicas para o desenvolvimento de verdadeiras equipes de trabalho:
- Promover a discussão da missão, dos valores e dos limites dos indivíduos e da equipe;
- Conhecer os objetivos pessoais e profissionais de curto, médio e longo prazo de cada um dos integrantes. Saber para onde querem ir;
- Criar ambiente que favoreça, permanentemente, a confiança, honestidade, respeito, o diálogo e o bom-humor;
- Definir com clareza os objetivos a serem alcançados;
- Criar condições que favoreçam a transformação individual e da equipe;
- Desafiar. Nenhuma equipe sobrevive sem desafios;
- Permitir que a liderança seja democrática, escolhida preferencialmente pelos integrantes da equipe;
- Promover trabalho que agregue valor;
- Propiciar condições para que cada integrante possa assumir riscos;
- Conjugar os verbos na primeira pessoa do plural – NÓS;
- Ter visão de futuro;
- Aprimorar constantemente as relações interpessoais;
- Focar nos resultados e nos relacionamentos;
- Conhecer as competências de cada um dos integrantes.
Raphael Roale, no seu artigo “10 dicas para se trabalhar em equipe” , segundo seu relato em um momento de sua vida profissional necessitou dividir onze pessoas em três grupos de trabalho, o que gerou um caus, onde havia muita gente cedendo, poucas pessoas felizes, o trabalho levando o dobro do tempo previsto. Então nos deixou 10 dicas, que segundo ele aprendeu com o seu erro da pior maneira possível: falhando.
1. Tenha paciência - Muitas vezes é difícil conciliar opiniões diversas, principalmente quando se está em grupo. Dessa forma é muito importante que você tenha a devida paciências. Procure sempre mostrar os seus pontos de vista com moderação e ouça o que os outros têm a dizer, mesmo que não esteja de acordo com as suas opiniões.
2. Aceite sempre as idéias das outras pessoas - Nem sempre é fácil aceitar novas idéias ou admitir em público que não temos razão, mas é importante saber reconhecer que a idéia de um colega pode ser muito melhor do que a nossa. Afinal de contas, mais importante do que o nosso orgulho é o objetivo comum que o grupo pretende alcançar.
3. Nunca critique seus colegas - Quando surgirem conflitos entre os colegas de grupo, é de vital importância não deixar que isso interfira no trabalho em equipe. Avalie as colocações do colega, com isenção total sobre suas impressões de caráter. Pode criticar (de forma construtiva) as idéias, nunca a pessoa.
4. Saiba como dividir - Entenda que é muito importante dividir tarefas quando se trabalha em equipe. Não parta do princípio que é o único que pode e sabe realizar uma determinada tarefa. Delegar, compartilhar responsabilidades e informação é fundamental.
5. Não deixe de trabalhar, colaborar - Não é por trabalhar em equipe que você precisa esquecer de suas obrigações. Lembre-se que dividir as tarefas é uma coisa, deixar de trabalhar é outra completamente diferente. Colabore.
video

 6. Mantenha uma postura participativa e solidária - Procure dar o seu melhor e ajudar os colegas, sempre que seja necessário. Da mesma forma, não se sinta constrangido quando precisar pedir ajuda à alguém da equipe.
7. Mantenha o diálogo, sempre - Quando se sentir desconfortável com alguma situação ou função que tenha lhe sido atribuída, é importante explicar o problema para que seja possível achar uma solução que agrade a todos.
8. Planejamento é essencial - Quando existem várias pessoas trabalhando em conjunto, a tendência natural é que se dispersem. O planejamento e a organização são primordiais para que o trabalho em equipe seja eficiente e eficaz. O importante é fazer o balanço entre as metas a que o grupo se propôs e o que conseguiu alcançar no tempo previsto.
9. Cuidado com o pensamento coletivo - Quando tudo já foi conversado e todas as decisões tomadas, é muito comum que um grupo coeso e homogêneo se torne resistente à mudanças e ignore outras opiniões. Quando isso ocorrer, o grupo deve ouvir opiniões externas e aceitar a idéia de que pode errar.
 10. Aproveite e divirta-se - No final de tudo, trabalhar em equipe pode ser uma excelente oportunidade de aprender com seus colegas e conviver mais próximo a eles. Todos ganham com a experiência.
SUGESTÃO DE FILMES: os filmes "A fuga das galinhas" e "vida de insetos" ambos abordam as questões de trabalho em equipe e determinação, de forma muito brilhante.

Fontes de Pesquisa:

Fonte das Imagens: Imagens Google

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

AUTOCONHECIMENTO

Se eu me magôo e passo a odiar quem foi insensível comigo, esse problema é MEU, não do outro. O outro apenas não correspondeu às minhas expectativas, não deu o colo que eu achava que merecia, não foi o amigo que eu queria que tivesse sido. Ele foi ELE. EU é que queria que ele tivesse agido diferente. Então EU sou o responsável pelo que sinto.”
(Léa Waider)

O autoconhecimento, segundo a psicologia, significa o conhecimento de um indivíduo sobre si mesmo.
O aprendizado de se conhecer melhor faz com que uma pessoa tenha controle sobre suas emoções, independente de serem positivas ou não. O controle emocional provocado pelo autoconhecimento pode evitar sentimentos de baixa auto-estima, inquietude, frustração, ansiedade, instabilidade emocional e outros, atuando como formidável exercício de bem-estar e ocasionando resoluções produtivas e conscientes acerca de seus diversos problemas, ou seja, o diferencial que faz com que cada um consiga ter controle sob suas emoções é o autoconhecimento. Desta forma o autoconhecimento é fundamental para desenvolver o amor por si mesmo e fortalecer a auto-estima.
É muito difícil alguém se conhecer interiormente quando a busca está sempre no externo, ou seja, procuram cuidar da pele, mudar o corte do cabelo, comprar roupas, eliminar alguns quilinhos, mas quase sempre esquecem que o caminho deve ser o inverso, de dentro para fora.
Percebe-se que a nossa auto-estima está baixa quando desenvolvemos algumas características como: insegurança, inadequação, perfeccionismo, dúvidas constantes, incerteza do que se é, sentimento incapacidade, não se permitindo errar e com muita necessidade de agradar, ser aprovado, reconhecido pelo que faz e nem sempre pelo que é.

Resposnda as seguintes questões:
1. Escreva dez coisas que você gosta em si mesmo (qualidades).
2. Escreva dez coisas que você não gosta em si mesmo (dificuldades, limitações) ou que gostaria de mudar.
3. Qual lista foi mais fácil de completar?
video
A maior parte das pessoas sente mais facilidade em identificar as coisas negativas, porque têm medo de que dizer aquilo que gostamos em nós mesmos poderá ser rotulado de presunção, esnobismo, egocentrismo. Sendo que na verdade para aumentar o autoconhecimento é necessário ter consciência de quem se é de verdade, avaliando os pontos positivos na mesma proporção quanto os negativos, pois só assim será capaz de mudar aquilo que te incomoda ou te faz sofrer valorizando o que tem de bom.

Vamos continuar o exercício anterior:
4. Observe as listas do exercício 3 e 4. Coloque a letra ( i ) nas suas características internas, que dependam apenas de você reconhecê-las. E a letra ( e ) nas características externas, que dependam da opinião de outras pessoas.
5. Ao sinalizar com as letras ( i ou e ), o que você percebe? Há um equilíbrio entre eles ou você tende mais para um lado?

Se você percebeu que possui mais características externas ficará mais vulnerável à opinião dos outros e desta forma, mais facilmente manipulável. Estará sujeito cada vez mais à aprovação, dos outros, nunca da sua própria. Desta forma toda vez que algo que dependa no mundo externo ou de outras pessoas não corresponda a sua expectativa, você se sentirá frustrado e sua auto-estima tenderá a baixar, e seu valor estará sempre na dependência do que dirão sobre você, não importando muito sua própria opinião.
O importante é desenvolver a capacidade e ter consciência de saber que o que faz é o reflexo de quem você é, e reconhecendo seus pontos negativos, poderá mudá-los um por um. Reconhecendo seus pontos positivos se sentirá mais confiante na capacidade de conseguir o que quer que deseje independente das críticas ou opiniões que os outros terão sobre você, pois acredita ser capaz de conseguir tudo o que deseja.
Não espere o dia em que estiver bem para iniciar seus projetos, inicie-os e o sentimento aparecerá.

Que tal começar agora fazendo estas reflexões!
1. O que tenho feito por mim?
2. Liste seus sonhos, projetos e desejos para o futuro.

Ter autoconfiança é saber que cada um de nós tem um núcleo de força interior que nos permite enfrentar situações difíceis e nos torna aptos a viver. Autoconfiança é tomar posse de si mesmo, independentemente de nossas qualidades ou defeitos, é tomar
consciência de nossa singularidade, de nossa individualidade, do
nosso querer, da nossa vida. A autoconfiança se desenvolve a partir
do nosso crescimento. Cada um de nós tem o seu próprio poder em desenvolver nossos talentos, nossa potencialidade, além de nos fazer felizes, nos mostra a capacidade humana de superação.

Vamos construir o seu Projeto de Vida?

1. Defina os seus objetivos de vida:
a) Profissional;
b) Familiar;
c) Financeiro;
d) Social;
e) Físico;
f) Mental;
g) Espiritual.

2. Liste especificamente três mudanças que você quer realizar em si próprio. Verifique se é o que você realmente quer (em direção a) e não o que você deseja evitar (em fuga de). Certifique-se que as mudanças são em você e não nos outros.
3. Liste três benefícios e vantagens que você terá com as mudanças.
4. Qual o recurso vai utilizar para atingir meus objetivos?
5. Posso dividi-los em metas?
6. Como posso escolher um indicador concreto para comprovar se os objetivos ou metas foram atingidos?
7. Quais são os prazos que darei? (Uma dica: comece com prazos de 1 ano)

Obs.:
Não guarde o resultado deste exercício (seus projetos). Leve-o consigo, deixe bem perto de você, pois a qualquer momento pode lê-lo e modificá-lo. O seu projeto de vida tem de ser dinâmico e não estático.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

RELACIONAMENTO INTERPESSOAL: COMPETÊNCIA ESSENCIAL DO PROFISSIONAL DO TERCEIRO MILÊNIO


Toda a vida do ser humano transcorre em contato com outras pessoas, em decorrência do processo de interação.
Em todo o percurso de toda a nossa existência participamos de diversos grupos sociais: família, escola, trabalho, lazer, entre outros. Cada indivíduo que participa de um grupo traz diferenças que englobam conhecimentos, informações, opiniões, preconceitos, experiências anteriores, informações, crenças, valores, o que traz inevitáveis diferenças de percepções, opiniões, sentimentos em relação a cada situação compartilhada.
A interação em qualquer ambiente que seja, nasce da aceitação, desprendimento e acolhimento, e no mundo atribulado em que vivemos às vezes não nos damos conta disto. Relacionar-se é dar e receber ao mesmo tempo, é abrir-se para o novo.
Passamos mais tempo em nosso ambiente de trabalho do que em nosso lar, e ainda assim não nos damos conta de como é importante estar em um ambiente saudável, e o quanto isto depende de cada um.
A aceitação começa pela capacidade de escutar o outro, colocar-se no lugar dele e estar preparado para aceitar ao outro e a nós mesmos.

“Quanto mais saudáveis nós somos emocionalmente, mais importantes se tornam nossas necessidades de preenchimento criativo no trabalho. Ao mesmo tempo, menos nós toleramos a violação de nossas necessidades para tal preenchimento.”
Abraham H. Maslow

No mundo corporativo, como em qualquer outro ambiente de relacionamentos, tudo gira em torno do poder e da habilidade política. O profissional que domina aspectos de relacionamento interpessoal domina a arte do posicionamento estratégico em uma empresa; torna-se indispensável para a imagem da empresa.
Atualmente, em toda e qualquer organização que almeje obter resultados, não se aceita mais o profissional individualista, exige-se profissionais que saibam trabalhar em equipe, e, sobretudo, saibam se integrar e criar sinergia com as pessoas.
O processo de interação humana está presente em toda a organização e é o que mais influência na direção das atividades e nos seus resultados.
O grupo não é a simples soma de indivíduos e comportamentos, ele assume configuração própria que influência nas ações e nos sentimentos de cada um proporcionando, sinergia, coesão, cooperação e coordenação, simpatia, carinho, harmonia, satisfação e alegria, ou mesmo, antipatia, tensão, hostilidade, insatisfação e tristeza. O mais curioso é que, mesmo o ser humano não conhecendo profundamente as pessoas, possui noções empíricas a respeito das reações dos outros e já desenvolveu certa habilidade para lidar com as formas previsíveis de atuação de diferentes pessoas. No entanto isto não impede que haja distorções no relacionamento interpessoal e interpretações errôneas sobre as pessoas e seus comportamentos em grupo.
A competência técnica de cada profissional é claramente explicitada na ambiência corporativa e se torna reconhecidamente explicito que o profissional precisa ser competente em sua área específica de atuação profissional. A competência interpessoal, no entanto, deve ser reconhecida em com o mesmo grau de importância que as competências específicas da Área de atuação. Desta forma, avaliar a nossa conduta, nossos comportamentos e percepções frente aos outros é o primeiro passo para que haja coesão nas relações grupais, bem como, criar sinergia e condições reais de se ganhar mais competitividade através das pessoas.
As relações interpessoais desenvolvem-se em decorrência do processo de interação. Não há processos unilaterais na interação humana: tudo que acontece no relacionamento interpessoal decorre de duas fontes “eu” e “outro(s)”.
O relacionamento interpessoal pode tornar-se e manter-se harmonioso e prazeroso, permitindo trabalho cooperativo, em equipe, com integração de esforços, conjugando as energias, conhecimentos e experiências para um produto maior que a soma, ou seja, a sinergia. Ou então tende a tornar-se muito tenso, conflitivo, levando à desintegração de esforços e final dissolução do grupo.
Para desenvolver a sensibilidade social e a flexibilidade de comportamento precisamos: melhor conhecimento de si próprio bem como dos diversos tipos de comportamento e atividade, em razão de conflitos interiores que não conseguimos resolver; melhor compreensão dos outros, interpretando-os pelo que eles são e não pelo que desejaríamos que fossem; melhor convivência em grupo, pela percepção dos vários comportamentos em grupo, seu funcionamento e a interação dos indivíduos.
Para nos relacionaremos com mais eficiência com os outros precisamos trabalhar atitudes como: ouvir; informar; elogiar; dialogar; avaliar; disciplinar. Desta forma trabalhe seu autoconhecimento, para que suas emoções não atrapalhem o desenvolvimento de sua carreira.
Segundo C. Reasoning Argyris, competência interpessoal é a habilidade de lidar eficazmente com relações de acordo com três critérios:
a) Percepção acurada da situação interpessoal, de suas variáveis relevantes e respectiva inter-relação;
b) Habilidade de resolver realmente os problemas, de tal modo que não haja regressões;
c) Soluções alcançadas de tal forma que as pessoas envolvidas continuem trabalhando juntas tão eficientemente, pelo menos, como quando começaram a resolver seus problemas.
No livro GREENE, Robert. As 48 Leis do Poder. Rio de Janeiro, Editora Rocco, 2000, é possível encontrar um guia prático do relacionamento, que se segue abaixo:
“Paradigma 1: Não se exponha - Deixe para outras pessoas a função de falar de você ou de chamar a atenção sobre o que você faz. Atrair a atenção de forma desmedida é ao mesmo tempo atrair a desconfiança e a inveja alheias. Seja modesto e atue de forma low profile quando o assunto for os seus próprios feitos.
Paradigma 2: Aja de forma desinteressada - Deixe seu talento fluir naturalmente, de forma que nada do que você faça pareça ter custado o esforço que realmente custou. Aja de forma a mostrar que as coisas que você faz pareçam mais simples do que na verdade o são. Ao contrário, você estará se expondo, o que contraria o paradigma 1.
Paradigma 3: Elogie somente o necessário - Deixe elogios para poucos e controlados momentos e, ainda assim, o faça de forma indireta (por exemplo, nunca se refira à sua própria contribuição.
Paradigma 4: Apareça moderadamente - Uma forma de ser notado de forma moderada é adotar um estilo particularmente seu no vestir, no falar e no portar-se. Distancie-se de seus pares, formando uma imagem diferente. Não se esqueça, entretanto dos paradigmas 1 e 2.
Paradigma 5: Saiba identificar o seu espaço muito bem - Adote um estilo e um linguajar para cada pessoa com quem você se relaciona e não caia na tentação de acreditar que todos são iguais perante a lei. Não são.
Paradigma 6: Não seja o arauto da má sorte - Antigamente, os reis mandavam matar os portadores de más notícias porque ou acreditavam que eram eles, mensageiros, que traziam, efetivamente, a má sorte ou porque ficavam com uma raiva incontida e descontavam na primeira pessoa que viam, sempre o mensageiro. Deixe para outra pessoa esta desagradável incumbência. Somente leve boas notícias aos seus superiores. Mas atenção, não se trata de mentir, mas sim de evitar ser carimbado como uma pessoa desagradável na presença do alto escala.
Paradigma 7: Cada macaco no seu galho - Não se permita adotar uma postura íntima das pessoas só porque você trabalha com elas. Torne-se cordial e aberto, mas jamais íntimo. Lembre-se de que você está trabalhando.
Paradigma 8: Se for criticar, faça-o indiretamente - Às vezes, vai ser necessário tecer alguma crítica sobre um determinado assunto ou sobre um determinado colega de trabalho. Se for criticar, o faça da forma mais indireta e polida possível. Não reclame o tempo todo do seu chefe ou dos colegas de trabalho. Honestidade em excesso é uma grande bobagem. Você não deve acreditar que as pessoas estejam tão interessadas nas suas críticas, mesmo que elas tenham razão de ser.
Paradigma 9: Favorecimentos aos mais capazes - Seu colega ganhou um bônus e você não? Seu chefe permite que seu colega tire uma semana de descanso a mais que você? Jamais peça equiparação. Melhor do que se fazer de suplicante é mostrar que merece os favores que recebe. Entenda os seus próprios limites. A idéia, muito comum, de que fazendo mais você estará merecendo mais ou fazendo melhor é uma bobagem profissional. Economizando tempo e energia, você poderá identificar oportunidades melhores para você.
Paradigma 10: Cada um é cada um - Jamais cite comentários sobre gosto pessoal ou aparência das pessoas, principalmente se forem coisas contadas a você. Preserve a identidade das pessoas com quem você convive no ambiente de trabalho.
Paradigma 11: Não seja sarcástico - Sarcasmo em excesso gera uma marca indelével no profissional, e demora tempo até que as pessoas se livrem da marca. Se for necessário criticar, lembre-se do paradigma 8. Do contrário, adote como conduta padrão o paradigma 3.
Paradigma 12: Olhe-se como os outros vêem você - Critique-se o tempo inteiro. Durante o expediente de trabalho, muitas pessoas estão observando o que você faz, o seu comportamento, os seus gestos e suas palavras. Seja seu próprio espelho e critique-se sempre.
Paradigma 13: Seja racional - Controle suas emoções ao máximo e aprenda a chorar ou rir conforme a encomenda. Deixe a raiva disfarçada assim como a alegria. Esconda as emoções por baixo de uma aparência glacial, escondendo as emoções de seu rosto. Ninguém precisa saber o que te aborrece mais ou o que te causa mais alegria.
Paradigma 14: Use as vantagens da vanguarda - Deixe um pouco de espaço para ser vanguarda, mas preserve o seu próprio comportamento. Fica muito à frente do seu próprio tempo pode causar incompreensão de seus atos. Fique atento ao paradigma 13.
Paradigma 15: Leve prazer para as pessoas - As pessoas deixam de lado ou ignoram as coisas e pessoas desagradáveis. Torne-se agradável para as pessoas e elas o procurarão, e lembrarão de você. Como não se pode agradar a todos por todo o tempo, procure agir desta forma a maior parte do tempo.

Fonte de Pesquisa:

http://www.alcancesolucoes.com.br/artigos/cassia/Relacionamento-Interpessoal-Artigo.pdf

Imagens Fonte: Imagens Google