domingo, 21 de setembro de 2008

MORAL E ÉTICA NOS NEGÓCIOS

O termo Moral tem origem latina na palavra mos (pensar sobre), a palavra Ética tem origem grega, ethos (agir sobre). Estes termos com o passar dos tempos, tornaram-se sinônimos de comportamento dos Homens e das Empresas. Deste modo, pela Moral apresentamos a capacidade de criar idéias, ou seja, imaginar como será o agir e o sentir. E, pela Ética, nos dotamos da disposição de praticar aquilo que sentimos e pensamos.
Uma empresa precisa ser percebida como um elemento ativo do contexto social, cultural, político, e econômico. Esse fato remete, ao compromisso e responsabilidades a empresa deva ter com a sociedade como um todo.
Na obra: A ética nas organizações, da Coleção Reflexão, Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social, de março de 2.001, p. 12, a ética:
“... não é um valor acrescentado, mas intrínseco da atividade econômica e empresarial, pois esta atrai para si uma grande quantidade de fatores humanos e os seres humanos conferem ao que realizam, inevitavelmente, uma dimensão ética. A empresa, enquanto instituição capaz de tomar decisões e como conjunto de relações humanas com uma finalidade determinada, já tem desde seu início uma dimensão ética.
Uma ética empresarial não consiste somente no conhecimento da ética, mas na sua prática. E este praticar concretiza-se no campo comum da atuação diária e não apenas em ocasiões principais ou excepcionais geradoras de conflitos de consciência. Ser ético não significa conduzir-se eticamente quando for conveniente, mas o tempo todo”.

Nossas crenças determinam nosso comportamento, seja na vida, e na empresa. A transcrição do artigo abaixo, publicado no Chicago Sun Times, ilustra tal fato.

Tudo bem filho, todo mundo faz isso (Jack Griffin)
Johnny tinha seis anos e estava em companhia do pai quando este foi flagrado em excesso de velocidade. O pai entregou ao guarda, junto à sua carteira, uma nota de vinte dólares. "Está tudo bem, filho", disse ele quando voltaram à estrada. "Todo mundo faz isso"!
Quando tinha oito anos, deixaram que Johnny assistisse a uma reunião de família, dirigida pelo tio George, sobre as maneiras mais seguras de sonegar o imposto de renda. "Está tudo bem, garoto", disse o tio. "Todo mundo faz isso"!
Aos nove anos, a mãe levou-o pela primeira vez ao teatro. O bilheteiro não conseguia arranjar lugares até que a mãe de Johnny lhe deu, por fora, cinco dólares. "Tudo bem, filho", disse ela, "Todo mundo faz isso!"
Com doze anos ele quebrou os óculos a caminho da escola. A tia Francine convenceu a companhia de seguro que eles haviam sido roubados e recebeu uma indenização de 75 dólares. "Está tudo bem, garoto", disse ela. "Todo mundo faz isso".
Aos quinze anos, foi escolhido para jogar como lateral-direito no time de futebol da escola. Os treinadores lhe ensinaram como interceptar e, ao mesmo tempo, agarrar o adversário pela camisa, sem ser visto pelo juiz. "Tudo bem, garoto", disse o treinador. "Todo mundo faz isso"!
Aos dezesseis anos, arranjou seu primeiro emprego nas férias de verão, trabalhando num supermercado. Seu trabalho: pôr os morangos maduros demais no fundo das caixas e os bons em cima, para ludibriar o freguês. "Tudo bem, garoto", disse o gerente. "Todo mundo faz isso"!
Já com 18 anos, Johnny e um vizinho candidataram-se a uma bolsa de estudos. Johnny era um estudante medíocre. O vizinho era um dos primeiros da classe, mas um fracasso como lateral-direito do time de futebol. Johnny ganhou a bolsa. "Está tudo bem", disseram os pais. "Todo mundo faz isso"!
Quando tinha 19 anos, um dos colegas mais adiantados lhe ofereceu, por cinquenta dólares, as questões que iam cair na prova. " Tudo bem garoto", disse ele. "Todo mundo faz isso"!
Johnny, flagrado colando, foi expulso da sala e voltou para casa com o rabo entre as pernas. "Como você pôde fazer isso com sua mãe e comigo?", disse o pai. "Você nunca aprendeu estas coisas em casa!". O tio e a tia também ficaram chocados.
Se há uma coisa que o mundo adulto não pode tolerar é um garoto que cola nos exames... (extraído do livro O poder da administração ética, de Kenneth Blanchard e Norman Vincent Peale - Ed. Record).

Segundo Maria Rita Gramigna, assim como no caso da história de Johnny, “adotamos comportamentos e atitudes que correspondem ao nosso aprendizado junto às pessoas que fizeram e fazem parte de nosso meio familiar, social e empresarial. Cada um de nós tem suas matrizes de identidade que nos legaram seus códigos de ética. Por outro lado, na medida em que repetimos a história, transformamo-nos em novas matrizes: pontos de referência para os que estão à nossa volta. Quando vou trabalhar questões referentes a poder e ética nas organizações, costumo usar jogos e simulações que permitam ao grupo colocar em prática seus valores, para depois abrir fóruns de discussão sobre os comportamentos que permearam as jogadas”

Fica nítida, assim, a necessidade de se ater para o fato de que é preciso que o mundo empresarial se conscientize cada vez mais de que a ética empresarial é imprescindível para o seu desenvolvimento e crescimento no campo dos negócios.

BIBLIOGRAFIA
LEISINGER, Klaus M.; SCHMITT, Karim. Ética Empresarial. Petrópolis: Vozes, 2.001.
LIMA, Alex Oliveira Rodrigues. Ética Global. São Paulo: Iglu, 1.999.
MARTINS, Ives Gandra (Coordenador). Ética no Direito e na Economia. São Paulo: Pioneira, 1.999.
MOREIRA, Joaquim Manhães. A Ética Empresarial no Brasil. São Paulo. Pioneira, 1.999.

L. A. Costacurta Junqueira, Vice-Presidente do Instituto MVC, no link http://www.rhportal.com.br/artigos/wmview.php?idc_cad=fe9b46iko, elenca:
Alguns indicadores da empresa que têm problemas de ética: Posterga deliberadamente pagamentos, fazendo pagamentos errados, fornecendo datas e não cumprindo etc.
Vende o que não tem ou o que não pode entregar
Tem apenas preocupação com sua necessidade de vender, não se preocupando em saber do cliente o que ele tem necessidade de comprar
Sempre se lembra das pessoas de fora na hora de preencher qualquer posição, não se importando em procurar, primeiro, identificar internamente se há alguém para aquela posição.
Embeleza balanços e demonstrativos financeiros etc. etc.
Ser ético nos negócios significa:
A necessidade de obedecer regras relativas à ocupação territorial, costumes e expectativas da comunidade, princípios de moralidade, políticas da organização, atender à necessidade de todos por um tratamento adequado e justo
Entender como os produtos e serviços de uma organização e as ações de seus membros podem afetar seus empregados, a comunidade e a sociedade como um todo (positiva ou negativamente)
Erros éticos mais comuns nas relações com seus superiores:
Mentir sobre as atividades que administramos
Culpar meu superior por meus erros ou de meus subordinados
Divulgar informações pessoais ou confidenciais para meus pares, empregados, gerentes seniores, clientes competidores, público em geral
Não reportar violações à legislação
Não reportar desempenho inferior às metas estabelecidas ou algo referente a roubos ou utilização inadequada de algo que é propriedade da empresa
Não atender a queixas e reclamações
Encobrir acidentes no trabalho ou problemas relativos à saúde ou segurança dos empregados
Usar idéias de empregados como se fossem minhas

PRINCÍPIOS DE ÉTICA PARA AS ORGANIZAÇÕES
Propósito:
A missão da nossa empresa é de responsabilidade da Diretoria. Nossa organização é movida pelos valores, expectativas e a visão que nos ajuda a determinar os comportamentos, aceitações e inaceitações.
Orgulho: Nós nos sentimos orgulhosos de nós mesmos e de nossa organização. Acreditamos que com este tipo de sentimentos é fácil resistir às tentações para nos comportarmos de maneira não-ética.
Paciência: Aceitamos que, mantendo nossos valores éticos, isto será o caminho do sucesso a longo prazo. Essa assertiva implica manter o equilíbrio entre a obtenção de resultados e a forma com que esses resultados são conseguidos.
Persistência: Temos o compromisso de viver de acordo com princípios éticos. Temos certeza de que nossas ações são consistentes com este compromisso.
Perspectiva: Nossos gerentes e empregados alocam tempo para refletir sobre onde estamos, avaliar para onde vamos e determinar como vamos chegar lá.
Agora vamos fazer algumas reflexões sobre os vídeos abaixo:
Neste primeiro vídeo a cantora de MPB, Ana Carolina, antes de iniciar um show, faz um desabafo através do poema "Só de Sacanagem" de Elisa Lucinda.Ao final uma frase marcante que nos leva a refexão e nos impulsiona a mudar a coisas através da ética: "Eu sei que não dá para mudar o começo, mas se a gente quiser dá para mudar o final"

video

No vídeo Ética - Quem Tem, TEM! Fala sobre a Ética, elaborado para um concurso de Criação Publicitária.

video

Apenas para refletir!!! Precisamos ter pensamento ético, ações éticas, seja na nossa vida pessoal, profissional, e para com o meio ambiente.

video

video

video

Aguardo os seus comentários!!!

Nenhum comentário: